Alergia em Procedimentos Odontológicos !

Alergia a medicamentos são resultados de hiper-sensibilidade do organismo que chamamos de reações imunológicas, diz o professor de farmacologia da pós-graduação da escola de Aperfeiçoamento profissional da ABO-RN, o cirurgião-dentista Gláucio de morais e Silva. Em odontologia, segundo ele, essas reações são pouco comuns, podendo ser desencadeadas pelo uso de diversos materiais utilizados na prática clínica, como os evidenciadores de placas, os branqueadores dentais, a aplicação tópica de flúor, o látex das luvas e os elásticos ortodônticos, o creme dental, as resinas acrílicas e as compostas, ligas metálicas presentes nos acessórios e fios nos tratamentos ortodônticos, e, principalmente, as decorrentes da prescrição medicamentosa de analgésicos, anti-inflamatórios, antimicrobianos, anticoagulantes, anestésicos locais entre outros.

As alergias são imprevisíveis e podem se manifestar dependendo do intervalo de tempo entre a última administração do medicamento e o início das reações alergênicas, sendo descrita como imediata (ocorrem dentro de 1 hora) ou não imediata (após 1 hora). As reações podem variar de uma erupção cutânea (manchas ou feridas na pele) com prurido, vermelhidão e inchaço facial grave e inchaço das vias respiratórias, febre, bronco espasmo (fala de ar e até anafilaxia – uma reação com risco de morte) que necessitam de  tratamento imediato.

Embora raras, as reações graves também podem ocorrer, e se o paciente, após tomar um medicamento, perceber a ocorrência de sinais e sintomas como inchaço ou aperto das vias respiratórias ou na garganta (edema de glote), pulso rápido, tontura, vertigens, hipotensão (pressão muito baixa), perda de consciência, então o paciente deve ser conduzido ao atendimento de emergência, pois esses sinais podem indicar a anafilaxia (que poderá vir a ser o choque anafilático) e apresentar risco de morte que exige tratamento imediato.

Segundo Dr. Gláucio, não se pode confundir a reação alérgica com intoxicação pelo flúor, que é um efeito colateral e apresenta-se como fluorose (manchas escuras nos dentes) decorrentes da ingestão crônica que pode causar desde sintomas mais leves que incluem mal estar gástrico e vômitos e, dependendo da dose, a intoxicação pode levar à morte. O uso de fluoreto tem sido considerado a principal explicação de cárie dental em todo o mundo e, ao ser usado racionalmente em odontologia, é considerado seguro. O tratamento com flúor deve ser prescrito e, sob orientação do dentista, evita-se, assim, a automedicação.

Muitas pessoas acham que reação “alérgica” pode ser de cunho emocional, até mesmo pelo medo de estar na cadeira do dentista em tratamento. De acordo com o professor, devido à similaridade nos sinais e sintomas, as reações de hipersensibilidade (alérgicas) às vezes podem ser confundidas nas diferentes situações. Essas respostas psicogênicas são muitas diagnosticadas erroneamente como reações alérgicas.

“Em caso de ocorrência, após a administração do medicamento, os sintomas são urticária (coceira), edema (inchaço dos lábios, língua ou rosto), erupções cutânea, entre outros. Nesses casos, o paciente deve entrar em contato com o cirurgião-dentista para suspender imediatamente a medicação, ou procurar um serviço de pronto atendimento”, diz Dr. Gláucio. Fonte cfo

Atenção: Com relação específica aos anestésicos locais em extração, embora seja extremamente rara (menos de 20 casos em 50 anos), podem ocorrer reações alérgicas. Geralmente é devido à presença de outras substâncias que compõem a fórmula da solução anestésica. O cirurgião-dentista deve estar preparado para as situações de emergência no consultório. Apesar de as reações alérgicas não serem consideradas muito frequentes, deve-se ficar atento ao aparecimento dos sintomas que indiquem a ocorrência e informar ao cirurgião-dentista, a fim de possibilitar a interrupção do medicamento ou substância dele. Fonte cfo